Blogs

Home page / Blogs / O que é migração de dados? Conceitos e técnicas explicados

Tabela de conteúdo
O Automatizado, Nenhum código Pilha de dados

Saiba como Astera O Data Stack pode simplificar e agilizar o gerenciamento de dados da sua empresa.

O que é migração de dados? Conceitos e técnicas explicados

9 de Janeiro de 2024

Com dados de formatos variados chegando de sistemas diferentes, o sistema existente pode exigir atualização para um maior ou migrar seus dados para outro plano. Mas o que é migração de dados? Como funciona?

Em suma, permite que as organizações expandam as suas capacidades de armazenamento e gestão de dados e utilizem plenamente os dados para orientar decisões de negócios. É um processo amplamente utilizado de movimentação de dados e quase todas as organizações realizam um em algum momento.

De acordo com a International Data Corporation (IDC), a migração de dados representa 60% de qualquer projeto de TI para grandes empresas.

É essencial seguir um plano adequado para migrar seus dados críticos usando ferramentas eficientes.

Este artigo discutirá a definição de migração de dados, por que ela é necessária, como fazer um plano eficaz de migração de dados e quais recursos devemos procurar ao comparar ferramentas de integração de dados para migrar seus dados de negócios. O blog também esclarecerá a confusão entre migração de dados e integração de dados. Vamos começar definindo o processo.

O que é migração de dados?

Simplificando, a migração de dados refere-se à transferência de dados entre diferentes tipos de formatos de arquivo, esquemas de banco de dados e sistemas de armazenamento. Contudo, a “transferência” de dados não é o único aspecto da metodologia. A migração inclui mapeamentos e transformações entre dados de origem e de destino se os dados forem diversos. Isto não significa que os termos migração de dados e integração de dados podem ser usados ​​de forma intercambiável.

Por exemplo, um projeto de migração de TI pode incluir uma estratégia de conversão de banco de dados, migração de aplicativos ou migração de software em que os sistemas legados sejam substituídos e novos sejam introduzidos para trabalhar junto com os existentes.

Na próxima seção, examinaremos com mais detalhes as diferenças entre migração e integração.

Qualidade dos dados devem ser avaliados antes da migração para garantir uma implementação bem-sucedida sem perda de dados. A taxa de sucesso de qualquer projeto de migração de dados depende da diversidade, do volume e da qualidade dos dados transferidos e da ferramenta que torna tudo isso possível.

Agora, vamos explorar como funciona o processo de migração por meio mapeamento de dados e transformação. O exemplo a seguir ilustra um diagrama de fluxo de processo de migração simples no qual a migração de Encomendas os dados de uma organização ocorrem de um formato de arquivo delimitado para um servidor SQL seguindo a classificação em relação ao ID do cliente.

Diagrama de fluxo do processo de migração de dados. Fonte: Astera Centerprise Data Integrator

Migração de dados vs. integração de dados

Depois de discutir um exemplo de migração de dados, podemos agora discutir a diferença entre integração de dados e migração de dados.

Integrando dados envolve coletar e combinar dados de múltiplas fontes heterogêneas para unificar os dados. Por outro lado, a migração de dados envolve a movimentação de informações. Essa transferência ou movimentação pode ocorrer de diversas maneiras, como sistemas de armazenamento de dados, migração de sistemas e migração de bancos de dados. A principal diferença entre os dois processos é que no primeiro são reunidos dados díspares. Em contraste, na migração de dados, os dados são transferidos de um lugar para outro usando software de migração de dados.

Migração de dados vs. conversão de dados 

A migração e a conversão de dados são conceitos relacionados que muitas vezes são usados ​​de forma intercambiável, criando confusão. Esta sobreposição surge porque, durante a migração de dados, existe uma necessidade inerente de conversão de dados. Quando as organizações movem dados para um novo sistema, muitas vezes precisam modificar o formato ou a estrutura para manter a compatibilidade. Portanto, é crucial que usuários e profissionais entendam as diferenças entre os dois processos para navegar de forma eficaz nas transições do sistema. 

A migração de dados é essencial quando as organizações adotam novos sistemas, atualizam os existentes ou consolidam dados de diversas fontes. Envolve a transferência contínua de dados de um sistema, armazenamento ou formato para outro, preservando a integridade e a confiabilidade. Durante a migração de dados, o foco está na movimentação de um conjunto abrangente de dados, incluindo metadados e definições de configuração, para garantir uma transição tranquila para o novo ambiente. 

A conversão de dados é um aspecto específico do processo de migração de dados, atendendo à necessidade de adaptar os dados às especificações do sistema alvo. É necessário garantir que os dados migrados estejam alinhados com os novos sistemas ou ambientes. A conversão de dados pode envolver a alteração de tipos de dados, a reformatação de valores ou a tradução entre esquemas de codificação. Esta transformação direcionada é crucial para tornar os dados utilizáveis ​​e significativos no contexto do sistema novo ou atualizado. 

A tabela a seguir destaca as diferenças entre os dois: 

Aspecto  Migração de dados  Conversão de dados 
Definição  Transferência de dados entre sistemas com foco na manutenção da integridade.  Transformação do formato ou estrutura dos dados para atender aos novos requisitos do sistema. 
Objetivo  Envolve a transferência de dados como um todo para um novo sistema.  Como parte da migração de dados, concentra-se na transformação de tipos, formatos ou estruturas de dados. 
Cronometragem  Ocorre durante a adoção do sistema, atualizações ou consolidação de dados.  Ocorre durante a implementação de um novo sistema, garantindo que os dados se ajustem às novas especificações. 
Risco   Mitiga riscos relacionados à perda de dados, corrupção e tempo de inatividade.  Gerencia riscos associados a problemas de qualidade de dados e erros de conversão. 
Exemplo  Migração de um banco de dados local para uma plataforma baseada em nuvem.  Converter dados de um sistema de banco de dados legado em um sistema moderno com estrutura diferenciada. 
Ferramentas  Ferramentas para transferência de dados, sincronização e replicação.  Envolve ferramentas e processos para mapeamento, extração, transformação e carregamento de dados (ETL). 

Tipos de planos de migração de dados

A tecnologia de migração de dados pode ser amplamente categorizada em cinco tipos. Vejamos como a migração funciona em todos esses cinco tipos.

Migração de banco de dados

Migração de banco de dados envolve a movimentação de dados entre dois mecanismos de banco de dados. No entanto, quando os dados originais são alterados, isso afeta simultaneamente a linguagem ou protocolo dos dados. A mudança também se reflete na camada de aplicação. Ferramentas gratuitas de migração de banco de dados modificam os dados sem modificar o esquema.

As circunstâncias que exigem esse tipo de migração incluem:

  • Quando o software de migração de banco de dados requer uma atualização
  • Migração de dados na nuvem de um banco de dados
  • Caso a organização precise alterar os fornecedores do banco de dados

Requer planejamento e testes cuidadosos, pois várias pequenas tarefas estão envolvidas no processo, como determinar a capacidade de armazenamento do banco de dados de destino, testar aplicativos e garantir a confidencialidade dos dados. As organizações preferem serviços e software de migração de banco de dados que possam fazer o trabalho perfeitamente.

Migração de aplicativos

A migração de aplicativos ocorre quando uma organização muda de uma plataforma ou aplicativo de fornecedor para outro. Cada aplicativo tem um modelo de dados exclusivo. Além disso, os aplicativos não são portáteis. Portanto, os sistemas operacionais de cada aplicativo, configurações de máquina virtual e ferramentas de gerenciamento podem diferir no ambiente de desenvolvimento e implantação.

Esses fatores podem contribuir para a complexidade do processo de migração. A introdução de produtos de middleware simplifica isso, pois eles ajudam a preencher a lacuna tecnológica, tornando a migração de software mais fácil.

Migração de armazenamento

O processo de migração da loja envolve mover dados de um sistema de armazenamento para outro, como um disco rígido ou a nuvem. A necessidade de migração de armazenamento surge devido a atualizações de tecnologia. Durante esse processo, é fácil implementar etapas de migração de armazenamento e recursos de gerenciamento de dados, como validação de dados, clonagem, redução de informações antigas ou corrompidas etc. Além disso, a migração de armazenamento permite dimensionamento econômico e desempenho mais rápido.

Migração de sistema

O que é migração de sistema? Simplificando, a migração do sistema auxilia no processo de transferência de recursos para uma plataforma de software diferente ou uma nova infraestrutura de hardware. Da mesma forma, a migração de tecnologia refere-se à atualização da tecnologia para melhorar os processos de negócios.

Migração para a nuvem

A migração para a nuvem garante escalabilidade, requer menos recursos de armazenamento e é econômica. Portanto, a migração de dados em nuvem tornou-se uma das tendências mais recentes no setor de gerenciamento de dados. A organização implanta seus ativos, aplicativos ou serviços de informações completos ou parciais na nuvem ou de uma nuvem para outra durante a migração de dados na nuvem. Isso permite que eles aproveitem os benefícios de um ambiente de nuvem. O firewall da nuvem protege os dados migrados e a organização pode implementá-lo facilmente por meio de ferramentas de migração de dados na nuvem.

Técnicas de migração de dados

Vários fatores determinam a técnica de migração correta para uma organização, como os recursos disponíveis, o volume de dados, a sensibilidade dos dados e os requisitos de negócios. O método que oferece uma combinação de confiabilidade, eficiência de migração e impacto mínimo nos usuários e processos de negócios é aquele que melhor atende às necessidades da organização.

A TDWI fez uma pesquisa para identificar as técnicas que as organizações usam para migrar ou consolidar bancos de dados. ETL emergiu como a técnica preferida de migração de dados, com 41% dos entrevistados votando a seu favor. Isto é porque Ferramentas ETL pode lidar com os requisitos complexos do processo de migração de dados. Isso inclui o processamento de grandes conjuntos de dados, perfil de dadose integrando múltiplas plataformas.

Outras técnicas e tecnologias de migração de dados incluem:

  • Codificação Manual (27%)
  • Replicação de banco de dados (11%)
  • Integração de aplicativos empresariais (3.5%)
Software e técnicas de migração de dados 1

ETL surge como a escolha preferida para migração de dados

 

Planejando um projeto de migração de dados? Considere estes fatores antes de migrar

Antes de embarcar no processo de migração de dados, é essencial levar em consideração os seguintes fatores para uma transição tranquila e bem-sucedida: 

  • Volume de dados: Considerar o volume de dados é essencial, pois impacta diretamente na complexidade, na duração e no custo do processo de migração. Volumes de dados maiores podem exigir ferramentas mais sofisticadas e aumentar o risco de perda ou corrupção de dados, tornando vital planejar o backup e a recuperação de dados. 
  • Tipo de cargas de trabalho: É essencial considerar o tipo de cargas de trabalho que o novo sistema irá manipular, como Máquinas Virtuais (VMs), backups e bancos de dados. Isso orienta o planejamento de desempenho, armazenamento e capacidade do novo sistema, afirmando sua prontidão para lidar com essas cargas de trabalho de forma eficiente após a migração. 
  • Velocidade de conclusão: O cronograma esperado ou a velocidade para a conclusão do processo de migração é um fator significativo. Um cronograma mais curto pode exigir mais recursos ou ferramentas avançadas, enfatizando a necessidade de equilibrar velocidade com precisão e eficiência no plano de migração. 
  • Conformidade Regulatória: Priorizar a conformidade com todas as leis relevantes de proteção de dados e privacidade é essencial ao migrar informações confidenciais ou regulamentadas. A não conformidade pode resultar em penalidades legais e perda de confiança do cliente, tornando-se um fator crucial a ser considerado no processo de migração. 
  • Recursos do projeto: A avaliação dos recursos disponíveis é vital para o sucesso do projecto de migração. As competências e conhecimentos da equipa, as capacidades das ferramentas de migração e o orçamento do projeto podem influenciar a estratégia de migração e o seu sucesso. 

Etapas para uma migração de dados empresariais bem-sucedida

Várias etapas incluem a execução de uma técnica de transferência de dados bem-sucedida e a escolha do software de migração de dados correto. Esses incluem:

1. Projetar uma estratégia de migração de dados

A seleção de uma estratégia de migração de dados depende do caso de uso. É porque a organização consolida sistemas após uma aquisição ou fusão, ou sobrecarga de dados? Solidifique os objetivos do negócio, estabelecendo as bases para o plano.

Na próxima etapa do plano de migração de dados, a organização precisa decidir se vai para serviços de migração de dados ou ferramentas ETL de nível empresarial projetadas para facilitar o processo. Vários provedores de serviços identificarão os sistemas de origem e destino, gerarão fluxos de trabalho e migrarão o conteúdo. Como alternativa, a compra de software de migração de dados sem código permite que você transfira conforme sua conveniência, acelera o projeto e reduz os riscos. Simultaneamente, pode reduzir o custo geral do projeto.

Ao criar estratégias de antemão para adquirir ferramentas ETL de nível empresarial ou software de migração sem código, a organização pode informar os usuários de negócios e de TI sobre os objetivos do projeto de migração de dados e garantir a adoção e implementação bem-sucedidas em toda a empresa.

2.      Avaliar e analisar dados

A próxima etapa no plano de migração de dados é analisar os dados corporativos. Responder às seguintes perguntas pode ajudar nesta avaliação:

  • Quanto dos dados corporativos requer migração?
  • São os dados estruturado ou não estruturado?
  • A redundância de dados será um problema?
  • Quanto dos dados é ROT (redundante, obsoleto ou trivial)?
  • As informações são antigas ou recentes?

Combine todos os fluxos de trabalho e drives compartilhados que armazenam dados para determinar seu uso em toda a abordagem de migração de dados da organização.

3.      Coletar e limpar dados

Essa etapa envolve a remoção de dados ROT, compactação do conteúdo restante e conversão de dados de toda a empresa em um único formato, por exemplo, na Figura. Uma transformação de perfil de dados é aplicada aos dados do pedido de uma empresa para examinar as informações disponíveis e remover registros duplicados/redundantes. Consulte a Figura. 2 para os detalhes do conjunto de dados.

Técnicas de migração de dados 2

Fig. 1. Criação de perfil de dados

Fig. 2: Resultado da criação de perfil de dados

A execução manual dessas tarefas pode consumir muito tempo e recursos para grandes conjuntos de dados. Portanto, encontrar um software de migração que automatize essas tarefas pode tornar o processo de migração de dados eficiente e livre de erros.

4. Classificar dados

Depois de criar o perfil dos dados em um formato utilizável e de alta qualidade, a próxima fase é categorizá-los de acordo com os requisitos de migração. A categorização pode ser baseada no tipo de produto, ID ou outros critérios. Isso facilita o roteamento de dados em baldes adequados.

A Figura 3 abaixo mostra os dados de perfil classificados em relação à ID do produto.

Ferramentas de migração de dados 4

Fig.3: Aplicando transformação de classificação

5. Valide os dados

Esta etapa envolve a revisão do processo de execução. Você deve avaliar as regras de dados, verificar se elas funcionam conforme o esperado e mapear quaisquer exceções em seu fluxo de dados. É aconselhável verificar o processo automatizado para evitar desafios inesperados durante a implementação do processo de migração de dados.

Depois de classificar os dados, aplicaremos as regras de qualidade de dados para determinar os erros com base nas regras definidas. Neste cenário, utilizamos regras de qualidade de dados para identificar e eliminar os registros em que o campo 'Quantidade' possui valor zero.

Software de migração de dados 5

Fig.4: Aplicando regras de qualidade de dados

6. Migrar

Esta é a etapa final no processo de migração de dados em que tudo se encaixa. Depois de seguir as etapas mencionadas acima, você terá conjuntos de dados bem organizados e limpos. Depois disso, basta migrá-los de um sistema para outro. Depois de migrar os dados para o sistema de destino, como um banco de dados ou um repositório de dados como um data mart ou um data warehouse, o processo está concluído. Os funcionários podem acessá-lo para alimentar a análise de dados, otimizar fluxos de trabalho, aprimorar a segurança dos dados e muito mais.

No exemplo abaixo, podemos migrar os dados para o servidor SQL depois de traçar o perfil, classificar e verificar se há erros.

Exemplo de migração de dados

Fig. 5: Dados migrados para o banco de dados de destino

Software de migração de dados - uma visão geral

Ferramentas de migração de dados são divididos em três tipos:

  • No local: Instaladas no local, essas ferramentas permitem a transferência de dados dentro da organização.
  • Código aberto: Ferramentas de migração de dados desenvolvidas pela comunidade disponíveis a um preço baixo ou gratuitamente.
  • Baseado na nuvem: As ferramentas de migração de dados em nuvem movem dados de diferentes sistemas (incluindo aplicativos, nuvem, armazenamentos de dados locais e serviços) para a nuvem.

A necessidade de software de migração de dados

O motivo mais comum para a migração de dados é mover dados de um servidor para outro ou para um novo sistema para aumentar a escala e acomodar o crescimento do volume. Contudo, outras circunstâncias também podem levar as organizações a optar por um projeto de migração. Alguns dos exemplos de migração de dados e por que isso é feito são os seguintes:

  • Para substituir os sistemas legados que não conseguem acompanhar os requisitos de desempenho em evolução da organização.
  • Reduzir a área de armazenamento de dados migrando para um sistema que consome menos energia e espaço. Conseqüentemente, reduzindo os custos operacionais.
  • Manter-se competitivo adotando tecnologias de ponta, abrindo caminho para a migração.
  • Para preparar um plano de recuperação de desastres, você pode garantir um backup de todos os aplicativos em outro data center.
  • Para transferir dados para a nuvem, eliminando o custo da infraestrutura de TI local.

Encontrando o software de migração de dados correto - recursos a serem considerados

A chave para selecionar o software de migração de dados certo é a pesquisa. Inicialmente, navegando em sites de resenhas, como Capterra, G2 Crowd, etc., darão a você uma boa ideia de quais opções estão disponíveis no setor. A próxima etapa é conhecer os recursos básicos que o ajudarão a realizar uma migração de dados corporativa bem-sucedida.

Aqui estão os recursos essenciais que você deve considerar ao selecionar uma ferramenta de migração de dados:

Mapeamento Fácil de Dados

É essencial dados do mapa da origem ao destino para transferir dados sem problemas. Para permitir que o pessoal de negócios e os profissionais de dados usem esses processos com facilidade, é melhor optar por uma ferramenta que ofereça uma interface gráfica de usuário de arrastar e soltar sem código.

Recursos avançados de integração e transformação de dados

A execução de um projeto de migração bem-sucedido envolve extrair dados da fonte desejada, identificar problemas e erros de qualidade por meio de criação de perfil e transformá-los para seguir o esquema de destino. A solução de gerenciamento de dados que oferece conectividade a uma ampla gama de fontes heterogêneas, ETL, gerenciamento de qualidade de dadose os recursos de transformação de dados reestruturam os dados para entrega direcionada e garantem que as empresas possam executar projetos de migração complexos e obter o máximo valor dos dados migrados.

Conectividade aprimorada

Uma ferramenta de migração de dados deve se conectar perfeitamente a estruturas de dados de origem e destino diferentes, como XML, JSON, EDI, etc. Se sua empresa precisar de conectividade com aplicativos de negócios (Microsoft Dynamics CRM, Salesforce, etc.) ou bancos de dados (IBM DB2, Teradata ), procure uma ferramenta que ofereça conectores pré-fabricados para essas aplicações.

Migração de dados automatizada

O melhor software de migração de dados incorpora a orquestração do fluxo de trabalho e o agendamento de tarefas, eliminando o trabalho manual, simplificando os processos de dados e permitindo uma transferência de dados mais rápida. Especialmente se o seu projeto de migração envolver grandes conjuntos de dados, automatizar o processo oferece benefícios adicionais, como tempo de implementação reduzido, custos de projeto mais baixos e ROI aprimorado.

Melhores práticas para migração de dados 

Embarcar em uma jornada de migração de dados requer uma abordagem cuidadosa. Definir objetivos claros, garantir a qualidade dos dados e implementar planos robustos de backup e recuperação permite que as organizações naveguem eficazmente pelas complexidades deste processo. Estas estratégias formam uma base sólida, protegendo contra interrupções e estabelecendo as bases para uma migração de dados segura e bem-sucedida.  

Aqui estão algumas práticas recomendadas importantes para migração de dados: 

  • Definir objetivos claros: 

Descreva claramente as metas e objetivos do processo de migração de dados. Isso normalmente inclui a atualização de sistemas, a consolidação de bancos de dados ou a implementação de uma nova plataforma tecnológica. Comunique esses objetivos às partes interessadas para estabelecer uma compreensão do propósito da migração, dos benefícios esperados e dos impactos potenciais na organização. 

  • Conduza avaliação e planejamento aprofundados: 

Avalie minuciosamente o estado atual dos dados, considerando fatores como volume, complexidade e dependências entre diferentes conjuntos de dados. Use esta avaliação para informar um plano de migração detalhado. O plano deve definir prazos específicos, atribuir os recursos necessários (humanos e técnicos) e incluir estratégias de contingência para enfrentar potenciais desafios ou obstáculos que possam surgir durante o processo de migração. 

  • Priorize a limpeza de dados e a garantia de qualidade: 

Enfatize a qualidade dos dados conduzindo atividades como desduplicação, correção de erros e normalização. Implemente medidas de garantia de qualidade para validar a precisão e integridade dos dados que estão sendo migrados. Siga os padrões de qualidade de dados predefinidos para confirmar se os dados migrados atendem ao nível de integridade exigido. 

  • Formule um plano de backup e recuperação: 

Crie um backup seguro dos dados existentes antes de iniciar o processo de migração. Estabeleça um plano de recuperação abrangente para resolver problemas inesperados ou falhas durante a migração. Isto serve como uma rede de segurança, permitindo a rápida restauração dos dados ao seu estado original em caso de complicações imprevistas, garantindo uma interrupção mínima nas operações comerciais. 

  • Elabore uma estratégia de mapeamento de dados: 

Desenvolva uma estratégia detalhada de mapeamento de dados que descreva claramente as relações entre os campos de dados nos sistemas de origem e de destino. Garanta transferência de dados precisa e mapeamento para os campos correspondentes para compatibilidade perfeita do sistema. Isto minimiza o risco de desalinhamento ou perda de dados durante a migração e protege a integridade dos dados transferidos. 

  • Monitore o desempenho regularmente: 

Implemente mecanismos robustos de monitoramento de desempenho durante todo o processo de migração. Acompanhe e analise as principais métricas, como velocidades de transferência de dados, utilização de recursos do sistema e desempenho geral. Isto permite a identificação e resolução oportuna de gargalos ou problemas que possam surgir, facilitando uma migração tranquila e eficiente.  

 Torne seu processo de migração de dados sem falhas!

Astera Centerprise é uma solução de gerenciamento de dados abrangente que permite que as empresas migrem dados mais rapidamente em um ambiente fácil de usar e sem código. Com a capacidade de processar grandes volumes de dados e estruturas hierárquicas complexas como EDI, XML, JSON e muito mais, Astera Centerprise realizou com sucesso a migração de dados complexos projetos para várias empresas da Fortune 1000.

Além disso, o software de movimentação de dados oferece uma combinação de automação, qualidade de dados integrada, recursos de criação de perfil, recursos avançados de transformação e extensibilidade para adicionar funções personalizadas ao projeto.

Quer ver como Astera Centerprise software pode criar e executar com sucesso seu processo de migração de dados sem codificação? Experimente o nosso 14-day free trial.

RBFCU acelera a migração de dados legados em 80%
Novo call-to-action
Você pode gostar
Migração de dados do Salesforce: o que é e como configurá-la?
Transferência gerenciada de arquivos em bancos: um guia completo
Como a integração automatizada de dados financeiros simplifica a detecção de fraudes
Considerando Astera Para suas necessidades de gerenciamento de dados?

Estabeleça conectividade sem código com seus aplicativos corporativos, bancos de dados e aplicativos em nuvem para integrar todos os seus dados.

Vamos nos conectar agora!
vamos conectar